16 jul
2014

VOCÊ ACREDITA QUE “QUERER É PODER”?

Resposta de uma pessoa:

Margarida
Tenho dúvidas em relação a querer é poder. Quero construir família ser feliz, mas sábado passado meu NAMORADO acabou tudo, porque eu cobro ficar com ele. Quero muito ser realizada PROFISSIONAL e financeiramente mas não tenho nem cem euros nas contas ou CARTEIRA. Quere pote até ser poder mas não está funcionando para mim.

CONCLUSÃO: No meu ponto de vista, o namorado não quer o mesmo que ela e ela força uma barra. O universo deu a ela a oportunidade de chutar o balde e ter o caminho livre para outrem, mas ela ainda não se deu conta disso.

Sobre o desemprego… se falta dinheiro, sobra tempo. O que se pode fazer então com o tempo? Qualquer coisa que te traga dinheiro. E se ficar escolhendo muito? Aí fica sem nada. E se pegar a primeira oportunidade que ver pela frente mesmo que ela não te dê o retorno imediato naquele momento? Abre-se o leque de networking (conhecer pessoas) e oportunidades melhores poderão surgir daí… até mesmo no sentido de ter finanças para investir em um projeto seu, em um novo emprego, etc.

Gente, opinem! Vamos bater um papo sobre o famoso “SEGREDO” de que tanto falam!!!

25 fev
2014

SONHOS DE MARGARIDA

Vou lhes contar um conto que escrevi. A história é real, porém o nome é fictício para proteger a identidade das pessoas envolvidas.

Era uma vez uma menina chamada Margarida, que achava o mundo belo, adorava sair com as amigas pra baladas e flertar com os rapazes ditos “príncipes encantados”. Digo entre aspas porque as virtudes deles só eram vistas por ela, mas em geral ela se envolvia com homens exploradores (seja por dinheiro ou por sexo) porque possuía uma autoestima muito baixa e achava que, oferecendo sexo seria uma forma de dar carinho e recebê-lo.
Margarida era tão sonhadora que, em toda a sua vida não pensou em se preparar para uma carreira. Ela pensava que sua felicidade residia no outro, que acharia seu príncipe encantado e que todos os problemas do mundo estariam resolvidos.
Só que um dia Margarida percebeu que os “príncipes encantados” dela só estavam a fim de sexo casual. Então ela pensou que, se eles tivessem uma conversa “honesta”, poderiam fazer uma troca: um chifrava de um lado e ela de outro, e tudo ficaria bem. O que ela queria era apenas sonhar que tinha um homem ao seu lado. Embora isso não passasse de uma de suas fantasias.
A menina não construíra uma carreira, não trabalhava, passava dias e dias dormindo na casa de parentes e de “amigos” quando, de repente, uma doença bateu a sua porta.
Ela começou a se vitimizar, vitimizar, ignorar os amigos leais e se apoiar nos de baladas com medo de perdê-los para as futuras noitadas. Teimava sempre, se dizendo muito guerreira por estar passando por aquele momento “difícil”. Tinha medo de perder os “amigos”, mas na verdade ela mesma afastava os leais e se aproximava dos de noitadas.

Margarida sentia prazer em ser vítima de si mesma. Ela nadava em círculos e não saía nunca do lugar. Se ela se aproximasse dos amigos leais, eles a fariam lutar. Mas não era isso o que ela parecia ter escolhido. Por quê? Porque ela gostava de viver andando em círculos sem sair do lugar. Sair do ponto de partida lhe daria muito trabalho e lhe faria sair do círculo vicioso. Viver sonhando sem sair do lugar lhe era mais cômodo e prazeroso. A vida lá fora era muito desafiadora pra ela e, uma “guerreira de faz-de-conta” não vive a realidade, pois ela só existe em sonho.

Autoria de Isis Ahava.

14 nov
2013

12 TIPOS DE BEIJO

Há vários tipos de beijo e, há quem diga que beijar é uma arte. Existe beijo suave, profundo, quente, molhado, sexy, lento, rápido, simples. Por isso, iremos citar abaixo algumas dicas de beijos bem interessantes segundo o KAMA SUTRA para acender a chama dos casais agora no Dia dos Namorados:

1 - Beijo de lado
Quando as cabeças das duas pessoas se inclinam em direções opostas e o beijo é produzido nessa postura. Essa é uma das formas mais comuns de se beijar e a preferida dos filmes. As cabeças inclinadas permitem um melhor contato dos lábios e uma penetração profunda da língua. É um modo excelente de começar um encontro amoroso apaixonado e também um modo de estimular a paixão entre o casal.

2 - Beijo inclinado
Quando um dos dois coloca a cabeça para trás e a outra pessoa, que a segura pelo queixo, a beija. A doçura e o afeto são as emoções principais que são transmitidas com esse beijo. Um beijo desse tipo é apropriado para as preliminares, quando se prefere fazer sexo com lentidão e de frente.

3 – Beijo direto
Quando os lábios dos dois se unem diretamente e se chupam como se fossem uma fruta madura. É um tipo de beijo em que o importante é que além de serem chupados, os lábios sejam mordiscados e levemente acariciados com a língua. É um beijo tranqüilo e demorado, que pode expressar uma forte paixão e que excita muitas pessoas mais do que o beijo de língua.

4 – Beijo pressão
Os lábios se pressionam fortemente com a boca fechada. É um beijo para iniciar a relação ou para terminá-la. Não convém mantê-lo por muito tempo, pois os dentes se cravam na parte interior dos lábios e pode sair sangue.

5 – Beijo superior
Quando um dos dois pega o lábio superior com seus dentes e o outro devolve o “carinho” beijando-lhe o lábio inferior. Na descrição deste beijo fala-se que uma pessoa do casal deve tomar a iniciativa e o outro se limita a correspondê-la. Uma possível razão para isso é que o Kama Sutra foi escrito para homens ativos e mulheres passivas. Mas nos casais atuais cada um deve ser o mais criativo possível e deixar que a imaginação se expresse como ela é e não se limite a responder a iniciativa do outro.

6 – Beijo broche
Quando um dos dois se prende aos lábios de seu amante, isso é chamado de beijo broche. E se o que realiza o beijo toca seus dentes, a gengiva ou o céu da boca com a língua, esse beijo chama-se “luta de língua”.

7 – Beijo palpitante
Quando um dos dois deposita sobre os lábios milhares de beijos bem pequenos percorrendo toda a boca e as comissuras (junção dos lábios).

8 – Beijo para distrair
O beijo ideal para chamar a atenção do parceiro. Lembre-se de que nem todos os beijos precisam ser na boca. Segundo o Kama Sutra, outros lugares recomendados são: a testa, os olhos, as bochechas, o peito, os seios, a zona abaixo da boca, a cabeça, a nuca e o pescoço junto com a clavícula.

9 - Beijo com os cílios
Quando se percorre os lábios ou o rosto do outro e se acariciam os cílios com beijos.

10 – Beijo viajante
Ainda que pareça que os beijos sempre costumam se centralizar na boca, colocar os lábios em outras partes do corpo é uma forma de excitação garantida.

11 - Beijo no peito
Os beijos mais efetivos nos seios são os que se aplicam primeiro com os lábios, suavemente e com um pouco de saliva. Depois, intensifica-se a pressão e, se a parceira o deseja e gosta desse tipo de beijo, pode-se pegar os seios com os dentes e pressionar ligeiramente. Algumas pessoas preferem sentir um pouco de dor nos seios quando estão prestes a ter um orgasmo.

12 - Beijo sem pressa
A chave é prestar total atenção no corpo do outro. Quanto mais controle você tiver e mais se concentrar em acariciar e beijar cada canto do corpo, mais intensa será a sensação de prazer para ambos.

Quais os principais erros na hora de beijar e quais são as principais técnicas para beijar bem?

1 - Primeiramente você deve ter foco. Não pode ficar com a língua desgovernada igual a um Alien saltando dentro da boca do outro. Tem que ter suavidade com a língua e deslizá-la pelos lábios, dentes e língua do outro. Deslizar os lábios levemente sobre os lábios do outro também pode ser  bastante excitante para ambos.

2 - Aprender a observar no que o outro sente prazer e desprazer, ou seja, não pode morder o outro fortemente se ele não é adepto da dor. Nem todos gostam de dentadas e às vezes isso pode se tornar um banho de água fria no outro. Pode até dar leves mordiscadas nos lábios do outro, mas nada que o machuque nem tire sangue.

3 - Beijo molhado é só para quem realmente gosta. Não são todos que gostam de serem lambuzados no rosto todo. Preste mais atenção a seu (sua) parceiro (a). O beijo deve ser bom para ambos.

Ísis Ahava, consultora de Artes Sensuais no site www.cursodesensualidade.com.br

11 nov
2013

A ORIGEM DO BEIJO

O beijo é uma arte na qual podemos expressar emoções, tesão, saudades, afeto, etc.

Não há uma origem específica sobre o surgimento do beijo, mas de acordo com pesquisas científicas, no reino animal alguns mamíferos costumavam alimentar seus filhotes colando sua boca com alimento na boca deles. Mas na nossa sociedade o beijo na boca nem sempre foi uma forma de demonstrar carinho. O ato teve muitos significados durante a História e ainda hoje é encarado de diferentes maneiras em cada sociedade. Do antigo beijo grego ao beijo-axila, conheça a História do beijo!

Na Antiguidade, os homens persas do mesmo nível hierárquico trocavam beijos na boca em sinal de respeito. Caso um dos homens fosse de um nível inferior, deveria beijar o rosto do outro. Na Grécia Antiga, por volta de 300 a.C., a hierarquia também determinava onde beijar. A quem fosse da mesma classe, era permitido trocar um beijo no rosto ou na boca; agora, quem fosse considerado inferior deveria se contentar com um beijo no rosto. Outra curiosidade: para homenagear os deuses, os gregos passavam as pontas dos dedos na boca e tocavam em obras de arte. Era uma demonstração de respeito e amizade aos deuses.

Na Roma Antiga, a ordem social também estabelecia as carícias trocadas. Quem era nobre influente tinha permissão para beijar os lábios dos imperadores; agora, quem tinha menos poder só podia beijar as mãos. Quem era súdito, então, deveria se ajoelhar e dar um beijo no pé do Imperador.

Na Inglaterra da Renascença, quem ia visitar um conhecido deveria, em sinal de respeito, beijar o anfitrião, sua esposa, filhos e até os bichos de estimação. Todos na boca! Mas nem sempre os ingleses foram tão liberais. No século 15, o rei Henrique VI, para evitar a proliferação de doenças, proibiu que os ingleses se beijassem.

Na língua dos esquimós, a palavra “beijar” é sinônima de “cheirar”. Por isso que, na hora de dar um “beijo de esquimó”, esfregam-se os narizes. Por aqui, “cheirar” também pode ser sinônimo de “beijar”, quem nunca ouviu alguém do Nordeste brasileiro mandar um cheiro?

Ao que parece, o beijo em que as línguas se entrelaçam é francês e a expressão surgiu por volta de 1920. Mas os franceses não assumiram a invenção. Por lá, o beijo francês – ou de língua – é conhecido como beijo inglês.

Na África do Sul trocar saliva é um ato repulsivo para a tribo dos thonga (lá, a boca é encarada como a fonte da vida e o dono deve ter cuidado para não a contaminar). Nas Ilhas Trobriand, no Pacífico Sul, ocorre o contrário: os antropólogos já observaram que a população passava horas se beijando e dando umas mordidinhas no parceiro. Em algumas tribos da Nova Guiné, ao invés de dar um beijo de despedida, tem que dar uma passadinha de mão na axila do companheiro e depois esfregar o cheiro dele no seu próprio corpo.

26 jul
2013

O nó da negatividade

Vicentina tinha sempre uma visão embaçada da vida. Nunca conseguiu ver o mundo com clareza. Suas lentes ampliavam os problemas e ofuscavam as possibilidades. Seu discurso sempre vinha acompanhado de um “mas…” Nunca conseguia elogiar alguém ou alguma situação vivenciada. Se viajava para um paraíso, tinha sempre um comentário repleto de reticências : “O lugar é lindo, mas…” Seus elogios eram sempre os mesmos: “Ela é uma pessoa linda, mas…” E assim, enumerava uma série de defeitos intermináveis para todos e para tudo. Nunca acreditava que um projeto pudesse dar certo, desde os mais banais passatempos até os projetos profissionais mais importantes. Se marcasse um passeio para o final de semana, pensava sempre em todos os imprevistos que pudessem atrapalhá-lo. Diante de tantos problemas fantasiados, acabava, muitas vezes, desistindo de muitos programas e projetos valiosos. Quando alguém lhe contava, entusiasticamente, um projeto de vida, oferecia de volta um sorriso meio torto e todas as possibilidades do projeto não vir a ter êxito. Ela adorava dizer: “Ainda bem que eu consegui fazê-lo enxergar que isso não ia dar certo…” Coitado de quem procurava Vicentina para compartilhar os seus sonhos!

O maior prazer de Vicentina era acompanhar os noticiários mais macabros da TV e dos jornais. Adorava também, reclamar da vida. Não entendia porque as coisas não davam certo em sua vida. Na verdade, não é que as coisas não dessem certo; a sua forma de encará-las é que estava errada. E, tomada por tanto pessimismo, dificilmente atrairia bons fluidos para si mesma. Se tinha uma dor, imaginava sempre a pior doença. Se sentisse saudável, imaginava todas as doenças assintomáticas que pudessem acometê-la. Desconfiava de tudo e de todos, pois imaginava sempre uma intenção ruim por detrás de todas as situações e de todas as pessoas.

Vicentina procurou a terapia como um muro para suas lamentações. Quando este muro foi demolido, fazendo com que pudesse enxergar além do seu pessimismo, Vicentina interrompeu seu processo terapêutico. Estava viciada na sua negatividade e sem desejos de enfrentar e superar o seu vício. Todos os recursos terapêuticos capazes de ajudá-la eram vistos com descrédito ou algum empecilho era sempre criado para afastá-la da possibilidade de colocá-los em prática em sua vida.

E assim, Vicentina vive a vida, ao lado de um marido exatamente igual a ela. Os dois parecem se sentir nutridos, pois retroalimentam a doença do outro. Parece que o maior passatempo deles, é contar as possíveis desgraças que os espreitam. O mais interessante nesta história é que não consigo ver infelicidade em Vicentina; vejo, por outro lado, um gigantesco prazer em estimular a sua dor.

O mundo está repleto de Vicentinas. Até o grande mestre Jesus Cristo nos alertou para o olhar das Vicentinas que moram dentro e fora de cada um de nós: “A lâmpada do corpo é o olho. Portanto, se o teu olho estiver são, todo o teu corpo ficará iluminado; mas se o teu olho estiver doente, todo o teu corpo ficará escuro. Pois se a luz que há em ti são trevas, quão grande serão as trevas”.

importante. Criar uma mente e um corpo saudável não é uma tarefa fácil para quem se alimenta todos os dias com a tempestade de noticiários ruins veiculados pela TV, pelos jornais, enfim por todos os meios de comunicação. Até mesmo as nossas famosas novelas, tão apreciadas pela grande massa da população, sempre exaltam o lado mais negativo do ser humano. Os personagens psicopatas, sejam das novelas ou dos nossos jornais e revistas, dão muito mais ibope do que as sábias e saudáveis personalidades. Da mesma forma que Vicentina e seu marido se retroalimentam, se há negatividade em abundância dentro de nós, esta negatividade será retroalimentada por estas programações negativas. Sentiremos o mesmo prazer que Vicentina sente com a sua dor diante da exposição a estes estímulos negativos. Será que você, assim Tomar cuidado com a nossa sombra é um processo de vigília muito como Vicentina, estará disposta a abrir mão destas situações negativas que alimentam a sua sombra? Será que você já se encontra demasiadamente identificada com suas energias negativas? Muitas vezes, criamos uma identificação maior com nossa sombra do que com o nosso lado luz? É sempre importante pensar: O que ganho mantendo a minha identificação com meu lado sombra? O que perco sendo uma pessoa iluminada? Há quem necessite da negatividade para sentir-se importante e obter atenção. Ser a vítima de tragédias ou uma pessoa doente faz com que muitas pessoas se sintam o centro das atenções.

Precisamos aprender também a nos defender da negatividade das Vicentinas que nos rodeiam. Quando não for possível se afastar delas, precisamos desenvolver mecanismos de autodefesa. Além de existirem algumas técnicas de limpeza energética a serem efetuadas antes e após o contato com estas pessoas, é sempre fundamental manter a vigilância para não cair na rede dramática criada por elas. Assista o drama delas sem se tornar personagem deste drama.

Criamos um campo energético negativo dentro e fora de nós. Quando este campo é muito intenso, atraímos as energias que vibram na mesma freqüência, ou seja, atrairemos pessoas e situações negativas e sentiremos, mesmo sem a nossa consciência, uma necessidade mórbida de sermos nutridos por estas cargas negativas. Mudar o nosso foco e curar o nosso olhar será sempre o nosso maior desafio. Apesar de toda negatividade a que estamos expostos, há, na mesma proporção, muita energia positiva. Estamos mais propensos a acreditar que esta energia boa existe numa proporção mínima, pelo fato de estarmos expostos a um altíssimo nível de estímulos negativos.

O vício na negatividade cria em nós vários processos de auto sabotagem. Assim como Vicentina, sabotamos qualquer possibilidade de fazermos a vida dar certo conectando com as coisas erradas. Buscamos e mantemos relacionamentos que nos fazem sofrer, sejam estes com pessoas ou com situações específicas da vida, tais como trabalhos, profissões, etc. Muitas vezes, mantemos um relacionamento doentio com a gente mesmo. Insistimos em focar em nossos defeitos, limitações e fracassos, mesmo tendo uma rede de virtudes, possibilidades e conquistas emaranhadas em nosso ser. Saber ver e conectar faz parte de nosso processo evolutivo. No entanto, não aprendemos ainda a ver com os olhos, imagine com a nossa alma. Ampliamos infinitamente a nossa visão quando enxergamos com o nosso 3º olho ou com a nossa alma. Transcendemos a cegueira ou visão embaçada quando jogamos luz na escuridão ou quando faxinamos a sujeira que nos impede enxergar. Se vejo beleza em mim, sou capaz de ver no outro. Curo, neste processo, a minha inveja. Se vejo possibilidades em mim, sou capaz de ver no outro e no mundo, pois o mundo é uma extensão daquilo que somos. Curamos, neste processo, a nossa desilusão. E assim vai… Sentimentos bons curam qualquer sentimento ruim. Sentimentos ruins adoecem os bons sentimentos. Se um pode detonar o outro, como funciona esta matemática? Qual deles prevalece? Prevalece a energia que existe em maior proporção dentro da gente. Assim, vence a energia alimentada por nós. Infelizmente, nem sempre alimentamos o que existe de melhor dentro e fora da gente. Matamos de fome muita coisa boa. Então, como poderemos alimentar as nossas energias?

Quando o nosso campo energético é saudável, não sentiremos prazer em conectar com as negatividades que nos são apresentadas no nosso dia a dia. A saúde é o resultado de uma interação positiva com a vida. Mas, será que a saúde é uma base importante para os interesses de mercado? Será que a indústria farmacêutica investiria na saúde e portanto, na veiculação de mensagens positivas? Será que precisaríamos de ansiolíticos e antidepressivos se o nosso campo energético fosse saudável? Como a indústria farmacêutica sobreviveria sem as nossas doenças? A nossa doença é de grande interesse para o mercado. Assim, é mais interessante que este mercado nos repasse informações negativas para estimular em nós aquilo que possa enriquecê-lo: a nossa doença.

Fazer com que nos sintamos mal com a nossa imagem é outra forma de favorecer um outro mercado; o horripilante mercado da beleza. Recebemos imagens de beleza inalcançáveis para que possamos nos frustrar bastante com a nossa imagem real. E, por detrás de todas as propagandas há sempre uma mensagem subliminar dizendo: “Você só será amada, desejada e uma pessoa de êxito se for parecida como a linda imagem que estamos vendendo”. Assim, compramos todos os produtos de beleza que possam nos transformar naquela imagem idealizada. No entanto, esta imagem foi construída em moldes especiais para não ser jamais alcançada. A única coisa que alcançamos são níveis de ansiedade e frustração significativos que nos fazem comprar as pílulas da felicidade, da tranqüilidade e da beleza. O tempo todo somos bombardeados com mensagens subliminares dizendo: “Você não é tão bom quando deveria”. Passamos a criar um campo de insatisfação que fortalece a nossa negatividade, criando um ciclo vicioso que não cessa. Só o alcance de uma consciência mais elevada poderá nos livrar deste ciclo. No entanto, somos estimulados a desenvolver a consciência de mercado. Nos fantasiamos de senhores para ludibriar as nossas angústias mais profundas, mas somos, na verdade, escravos de um sistema que finge estar do nosso lado.

pessimismo são duas coisas bem diferentes. Ser realista é ser consciente da realidade e dos fatos em si. Ao realismo, posso agregar o pessimismo ou o otimismo. Vou dar um exemplo para ilustrar esta questão. Ter que estudar muito e o acesso a alguns títulos é um fato incontestável para quem deseja passar num concurso que ofereça um cargo de alto salário. Em que parâmetros se baseariam cada discurso? Um discurso realista proporia: “Preciso de todos os títulos solicitados e de muitas horas de estudo, dentre outras habilidades, para passar no concurso”. A esta realidade posso agregar o meu pessimismo: “Tenho todos os títulos, gosto de estudar, mas não sou capaz; as outras pessoas são melhores do que eu; não tenho sorte; nunca vou passar…” Posso agregar o meu otimismo: “Sou uma pessoa capaz e disciplinada. Tenho todos requisitos e títulos solicitados. Tenho ótimas chances de passar neste concurso. Estudarei muito e colocarei nele toda a minha energia. Certamente, vencerei esta batalha”. Posso agregar também, a esta realidade, as minhas ilusões e fantasias imaturas: “Eu não tenho os títulos solicitados, os requisitos necessários e nem mesmo energia e desejo de estudar o suficiente. Mas isto não importa; o segredo é : Atraímos tudo aquilo que desejamos e eu simplesmente desejo passar neste concurso. Este cargo, com certeza, é meu”.

Se deseja criar um campo de energia saudável, agregue não só otimismo à sua realidade, mas também, disciplina, entusiasmo, sabedoria e força de vontade. O desejo que atrai a realidade que você almeja viver não pode estar vinculado apenas ao prazer, mas também ao compromisso, à inteligência e à maturidade. impregnando de mensagens negativas repassadas pela família , pelas nossa instituições educativas, religiosas e socioculturais. Cada qual querendo fazer a criança enxergar a seu modo. A este condicionamento, muitos dão o nome de educação. À nossa criança é ensinado coisas do tipo:
_ Ninguém é bom o suficiente, por isso desconfie de todos.
_ Você acertou praticamente tudo, mas esse erro não precisava ter acontecido.
_ 8 é uma boa nota, mas 10 é bem melhor. Você não vai conseguir nada se não for 100%
_ Você perdeu algumas estrelinhas este mês. Assim , não vai brilhar.
_ Só tem violência neste mundo.
_ Deus vai te castigar.
recheado de negatividade. À realidade infantil, precisamos acrescentar otimismo e positividade. Precisamos, sobretudo, agregar uma educação libertadora que preserve Muita gente prefere dizer que é realista ao invés de pessimista. Realismo e Se deseja criar um campo de energia saudável, agregue não só otimismo à A criança é sempre mais positiva. À medida que vai crescendo, vai se E, por aí vai… Nossa criança vai sendo violada com um discurso adulto e valorize o seu olhar. Muitas crianças são educadas por pessoas e por um ambiente extremamente negativo. As bases da personalidade desta criança repousam sobre estas energias perversas. O estímulo repetitivo da negatividade gera um automatismo negativo. Este ser aprende a reagir sempre de forma negativa a todas as situações da vida.

FONTE: http://nos-claudia.blogspot.com.br

15 mai
2013

Paixão é doença e tem cura!!!

Quem está apaixonado pode estar doente?

Não precisa sair correndo para o médico, pois esta conclusão veio com o resultado de uma pesquisa organizada pela psiquiatra Donatella Marazziti na Itália. Isso só ajudou a confirmar o que muitos cientistas já desconfiavam: a paixão pode ser mesmo uma doença. Segundo o resultado do estudo, os apaixonados têm cerca de 40% menos serotonina no cérebro do que as pessoas “normais”. Esta é uma substância chamada de neurotransmissor que existe no nosso cérebro e serve para conduzir a transmissão de um neurônio para outro e é também uma das responsáveis pelo controle do apetite, do sono, do humor, da ansiedade e até da agressividade.

Tudo isso explica a maneira de se comportar dos apaixonados. Perder o apetite, não dormir direito, ter palpitações, etc; esses sintomas deixaram de serem encarados como um mero capricho para serem analisados com mais profundidade. Mas, para a frustração de quem pensa que pode morrer de paixão, o estudo também fez outras descobertas. Os sintomas duram em média seis meses, assim como a paixão em si. Esta é uma boa notícia para quem não é correspondido. Com o tempo, o sofrimento deixa de existir. Já para quem está vivendo uma grande e feliz paixão correspondida não há motivo para desespero. Quando acaba essa fase, a paixão pode se transformar em outros sentimentos. Isso depende de como será conduzida a relação. Para Lucianne Fernandes, psicóloga especializada em Sexualidade Humana, “a paixão é cega, instantânea e pode ser unilateral. Normalmente, o apaixonado não consegue ficar longe do objeto da paixão. O amor já é mais bilateral, um sentimento mais maduro, onde ambos podem amadurecer e evoluírem juntos”. Se a pessoa apaixonada não for correspondida e perder o interesse pelas pessoas e a vontade de sair de casa, ela deve procurar o apoio da família e dos amigos. Muitas vezes essa pessoa entra em um quadro depressivo e isso exige uma maior atenção. “Pode-se estar a adoecer por causa da paixão”, completa a psicóloga. Ela ainda diz que a paixão não dura muito, mas pode ter um final trágico como, por exemplo, passar a desprezar ou mesmo odiar o objeto da paixão.

13 mai
2013

Sonhos eróticos podem revelar muito sobre a sua sexualidade!!!

“Foi bom?” A resposta a esta pergunta é mais importante do que se possa pensar e pode, de fato, dizer-nos o significado dos sonhos eróticos.
As sensações dão indícios de como anda a sua sexualidade e o que poderia fazer para a melhorar. Enquanto se sonha, a pessoa está em contato com o seu inconsciente. Ou seja, está livre de tabus e de censuras internas. Por isso, através dos sonhos, é possível compreender o que está dentro de nós.
Na verdade, em alguns casos, os sonhos são apenas uma forma de obter prazer sexual. No entanto, qualquer que seja o motivo, é importante saber que um mesmo sonho pode ter vários significados. Tudo é diferente de pessoa para pessoa e da vida que ela tem nesse momento.

Significado de alguns dos principais sonhos eróticos femininos:

Apanhada em flagrante

Está tendo relações sexuais e… inesperadamente alguém aparece. Normalmente, este tipo de sonho significa que existe algum tipo de dificuldade sexual. Tem alguma dificuldade em viver livremente a sua sexualidade, ou seja, vê o clima erótico e interrompido e não consegue satisfazer-se, pois não coloca em prática o que realmente quer. Talvez não seja má idéia dar mais prioridade aos seus desejos íntimos e livrar-se de crenças antigas e equívocos.

Sexo em público

Tal como no sonho em que é apanhada em flagrante delito, este sonho também revela uma certa inibição. Pode indicar que deseja assumir abertamente a sexualidade, sentir-se desejada e, sem tabus, expor todo o seu lado erótico, contudo, teme tudo isso. Lembre-se que o medo de assumir a própria sexualidade é o caminho mais curto para a frustração. Tente perceber aquilo que a inibe. Será que não é altura de se soltar mais um pouco?

Na cama com um ator

É muito comum sonhar com figuras públicas. Antes de tudo, tente perceber se sonhou com essa figura pública ou, no caso dos atores, com alguma personagem que ele interpreta. O ideal é perceber o que essa pessoa representa para si e que tipo de sentimentos desperta. O sonho pode significar que tem vivido num mundo da fantasia e deseja algo inatingível. Que tal tentar ser um pouco mais realista ? Por certo que há muitas coisas na sua vida a que não dá importância…Seja mais consciente desses aspectos e verá que se sente mais estabilizada!

Sexo com um conhecido

Antes de tudo, tente perceber se o sonho foi bom ou mau. A sensação vai trazer-lhe a resposta. Se você se viu a ter relações sexuais com um amigo ou colega e gostou tente perceber o que ele simboliza para si. Talvez queira relacionar-se com um companheiro que possua as mesmas características. O aspecto físico pode não ser relevante, mas sim as emoções que desperta, tente perceber quais são essas emoções, pois estar aí a resposta para se sentir melhor com a vida.

Sexo com o chefe

Este tipo de sonho está muitas vezes relacionado com a figura de autoridade que o seu chefe representa. A sensação é o que mais interessa analisar. Isto é: se a sensação for má, é possível que esteja sentir-se coagida no ambiente de trabalho. Se a sensação for boa, talvez haja alguma qualidade no seu chefe que espera num companheiro.

Sexo com outra mulher

Será que tem desejos homossexuais e que quer estar de fato na cama com uma mulher? Não necessariamente… Muitas vezes, este tipo de sonho indicia uma vontade de se relacionar com alguém que a compreenda: uma pessoa atenciosa, delicada e compreensiva… como uma mulher.

Sexo forçado

Geralmente este tipo de sonho indicia um desejo de ser livre em relação à sexualidade. É uma forma de obter prazer sem culpa; uma forma de não se sentir responsável pelo sucedido. Atenção, pode também sentir-se injustamente explorada por alguém, tais como um amigo, um colega, um chefe ou um namorado. Reveja os seus sentimentos e caso seja este o seu sentimento convem rever o tal relacionamento que a atormenta.

Sexo em grupo

Fique atenta às emoções! Se gostou tente vencer as suas inibições para se sentir mais feliz na cama. Não quer dizer que tenha de fazer sexo a três, a quatro, a cinco ou a seis… Apenas terá que tentar superar algumas dificuldades que a impedem de ser mais feliz. Mas, se você se sentiu mal, talvez não se sinta muito confortável no seu dia-a-dia. Tente perceber quais são indícios no seu comportamento que não a fazem sentir-se bem. Se compreender vai ver que tudo será bem mais gratificante!

13 set
2012

13 set
2012

SEXO TÂNTRICO: O PRAZER ETERNO

Surgida na Índia há 5 mil anos, o Tantra é uma filosofia matriarcal, onde a mulher é considerada uma divindade. Em sânscrito, Tantra significa “o que conduz ao conhecimento”.

O sexo tântrico é uma forma de adiar ao máximo o orgasmo para obter prazer prolongado. Segundo os praticantes, este é um processo que vai elevar o nível do sexo, segurando o orgasmo cada vez mais. Toda a energia retida, quando liberada, será uma explosão nuclear.

Quando se fala em sexo tântrico, a primeira coisa que vem à cabeça é a inevitável tortura de ficar horas e horas adiando o orgasmo. Não desista! Afinal, isso é só uma pequena parte de uma filosofia muito mais abrangente, que requer uma mudança profunda no modo de vida e no jeito de encarar o sexo.

Literalmente, “tantra” significa instrumento de expansão. É um processo que deve ocorrer nos planos mental, espiritual e físico. O objetivo é atingir a realização pessoal e espiritual. E o sexo entra aí como um ritual sagrado de troca de energia. Segundo o livro Sexo Tântrico – Como prolongar o prazer e atingir o êxtase espiritual, da médica inglesa Cassandra Lorius, a união sexual tântrica é um meio de alcançar o êxtase divino.

O primeiro passo para se iniciar no tantra é esquecer o relógio. Aborte a idéia de querer chegar logo na penetração. Beije, toque o corpo da(o) parceira(o), explore as zonas erógenas. Se não der certo da primeira vez, não se preocupe! Tente novamente. Para os adeptos do tantra, o sexo nunca chega ao fim.

As mulheres também são aconselhadas a segurar seus próprios líquidos, conhecidos no tantra como rajas. Uma técnica simples consiste em pressionar a língua fortemente contra o céu da boca pouco antes do orgasmo.

Da preparação do terreno ao orgasmo

Conheça as etapas do sexo tântrico!

1º passo: preparar o ambiente

Esta primeira etapa é fundamental para que a circulação da energia aconteça. O casal pode tomar um banho e deixar a pele o mais natural possível. Acender um incenso antes de começarem para limpar o ambiente. Prefira os de sândalo e canela. Coloque flores ou frutas e velas no local. Escolha uma música calma e sensual. Se tiver, espalhe cristais pelo quarto.

2º passo: despertar os sentidos

Eles devem estar aguçados para que a entrega seja total. Para isso, um dos parceiros venda o outro com um pedaço de seda. Os dois devem estar nus. Pouco a pouco quem está sem a venda passa vários odores perto do nariz do parceiro. Isso desperta o olfato. Depois pode-se oferecer alguns licores de sabores diferentes ou frutas para aguçar o paladar. Em seguida, deve-se tocar o corpo inteiro do outro. No final, tira-se a venda para que se olhem profundamente nos olhos. Assim, as sensações ficarão à flor da pele. Encerrem com um longo abraço que toque o corpo todo do outro.

3º passo: ativar o ponto de energia sexual

Agora é importante ativar a energia kundalini. Poderosa, ela fica escondida e adormecida no chackra básico ou seja, na região pélvica. Você e seu parceiro podem fazer juntos. Fiquem de pé, com os pés paralelos abertos mais ou menos na largura dos quadris. Mantenham a coluna reta e as mãos dadas. Flexionem os joelhos. Ao inspirar, mexam a pélvis para trás e quando expirarem coloquem a pélvis para frente. Não movimentem o corpo inteiro, apenas essa região. A penetração começa nesse momento. Olhem-se nos olhos durante o movimento.

4º passo: distribuir a energia

Agora vocês devem espalhar essa energia para todo o corpo. Colocando uma das mãos sobre o peito do outro, a a energia “sobe” para o chackra do coração. Vocês podem ficar na posição clássica do tantra com as pernas entrelaçadas, um de frente para o outro, sentados. Almofadas podem ser usadas para acomodar. Parem com o movimento dos quadris. Sintam a energia subindo. Passem as mãos nas costas do parceiro de baixo para cima para levar a energia dos genitais para o chackra frontal, na cabeça. Ao distribuir assim a energia, vocês estarão “imersos” por completo no ato sexual. Quando sentirem que é o momento, reiniciem os movimentos dos quadris para “bombar” mais energia. Mas mantenham sempre olhos nos olhos para a energia circular. Assim é possível atingir o objetivo do sexo tântrico que é o êxtase, o orgasmo cerebral. “É um patamar de orgasmo em que se pode ficar por horas a fio”, descreve o terapeuta Savian.

5ª passo: finalmente, o orgasmo

No tantra, o orgasmo é diferente. São picos de êxtase. Cada vez que vocês chegarem mais perto do orgasmo, adiem um pouco, parem os movimentos e recomecem depois. Quando não aguentarem mais, os especialistas garantem: vocês terão o mais intenso e prolongado orgasmo da vida.

Follow Me!

Follow Me! Follow Me! Follow Me! Follow Me!

© 2017 Curso de sensualidade ADAPTADO POR Jm Midia.

Theme Tweaker by Unreal